quarta-feira, 25 de março de 2015

EMATER VISITA PRODUTOR DE MILHO


A equipe da EMATER, Escritório local de Piçarra, realizou nesta manhã mais uma visita técnica na propriedade do SR. Jesum da Silva Araújo. A visita foi para analisar uma área onde o mesmo cultiva milho e pretende expandir a sua produção fornecendo-a durante o inverno e verão vendendo o produto na cidade direto ao consumidor. Apesar de não ser uma ideia inovadora, se torna importante tendo em vista poucos produtores se aventurar na mesma apesar do lucro garantido. 

No caso especifico desse produtor, o mesmo possui área com grande potencial que deverá passar por uma analise de solo, medição topográfica ja que irá usar irrigação, e um treinamento adequado de comercialização. Jesum ja é um produtor de leite, possui uma área de 30ha e deverá implantar um sistema de produção onde irá agregar a atividade existente o plantio de milho com feijão irrigado e ja iniciou também uma pequena criação de peixes. Como Jesum, existe vários produtores rurais que necessitam de incentivo para alavancarem a sua produção.





terça-feira, 24 de março de 2015


Prefeitura Municipal de Piçarra que inaugurou a quadra poliesportiva coberta da Escola Caminho para o Futuro, para atender a Vila Oziel Pereira. A obra foi realizada em parceria com o governo federal e entregue oficialmente à população no último sábado (21) com participação do prefeito Wagne Machado, sua equipe de governo, o deputado estadual João Chamon, além de diversas autoridades do município e da região.

O evento teve início por volta das 8h e se estendeu durante o dia todo, começando com um campeonato de futsal, organizado pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Deporto e Lazer (Semec), envolvendo sete equipes da rede municipal de ensino, depois com a participação especial da Banda de Música da 23ª Brigada de Infantaria de Selva de Marabá, sob a coordenação do Regente 1º Tenente Juarez e do Mestre de Música Subtenente Batista, e terminando com o ato solene.

Fonte: www.picarra.pa.gov.br

Link da Prefeitura Municipal

Novidade no nosso blog. Na aba minha lista de blog que fica ao lado agora consta o site oficial da Prefeitura Municipal de Piçarra. É só rolar a barra de ferramentas para baixo e clicar em cima e vai direto para o mesmo.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Jornalismo tendencioso ameaça sobrevivência do sistema Globo

A Globo caminha para a quebra. Se isso acontecer será culpa quase exclusiva de seu Departamento de Jornalismo. É que se alguém quiser se aproveitar da situação para comprar aGlobo encontrará a seu favor o mais arrogante, mais pretensioso, mais insolente grupo de “formadores de opinião” como nunca se viu antes na história deste país, e com poderes ilimitados. Isso porque os donos são ausentes ou incompetentes, e nada trava a libertinagem televisiva e jornalística que se enfia goela baixo do cidadão daqui e do exterior, todos os dias, num exercício jamais observado de manipulação política pela via da emoção.
Há dois patamares no caminho da Globo para o fracasso. O primeiro é o Jornal Nacional, ligeiramente mais discreto na sua cruzada diária pela desinformação. Conduzido por William Bonner, que lembra um propagandista de sabonete, traz sempre uma mistura bem preparada de fatos e emoção direcionada para a busca de telespectadores a qualquer custo, mesmo quando esse custo significa subverter a verdade. A distorção a favor dos ricos é limitada apenas pelo medo de perder audiência no horário nobre, na medida em que grande parte dela é de famílias pobres beneficiárias dos programas sociais do PT.
É no Jornal da Globo, contudo, que os noticiaristas e comentaristas da Globo saem do armário. Aí a manipulação da opinião pública passa a ser um jogo aberto. Começa com a figura burlesca de William Waack anunciando todas as pragas do Egito sobre o Brasil. Ele tem, como o JN, prazer em noticiar tragédias, coisas que comovem. Mas, com muitos graus de emoção sobre o Jornal Nacional, despeja na audiência, formada sobretudo por gente de classe média que não tem compromisso com horário no dia seguinte, o que essa audiência enviesada quer ouvir na sua sanha lacerdista de apelos hipócritas contra a corrupção.
Mas William Waack é um casca grossa: manipula o noticiário de acordo com suas preferências pessoais, acrescentando ao sabor da notícia deformada esgares de palhaço de circo. Cabe a Sardenberg um papel aparentemente mais sutil, como me observou Jânio de Freitas, o maior jornalista político do Brasil em atividade, já que ele é mais venenoso por divulgar os conceitos da economia política favoráveis aos ricos dentro de uma carcaça insidiosa de neutralidade técnica, como todo bom charlatão. Ele agrada aos poderosos e ao mesmo tempo engana os pouco pobres que resistem a assistir a tevê até de madrugada.
O Jornal da Globo tem, portanto, uma interação intelectual e moral afetiva com ricos e poderosos. Sua eficácia, conforme Marx, está no fato de que a ideologia da sociedade é a ideologia da classe dominante. Quando a classe dominante dispõe inteiramente da mídia, sem concorrência – porque, no campo da ideologia, a quase totalidade dos maiores jornais, revistas e tevês está do lado e de mãos dada com uma direita sórdida e indiferente aos destinos da sociedade -, o campo político fica inteiramente aberto, inclusive para golpes brancos.
Poderia continuar enchendo laudas e laudas de adjetivos conta a dupla do Jornal da Globo e contra outra dupla igualmente perniciosa para a democracia, os comentaristas do jornal Globo Míriam Leitão e Merval Pereira. Este não merece muita tinta, porque é apenas ignorante – na acepção semântica da palavra. Míriam, porém, como Sardenberg, é astuta. Passa a ideia de que sabe economia, quando o que realmente sabe é identificar economistas de direita, como ela, e dar-lhes espaço franco em sua coluna diária e sórdida Globo News.
O noticiário econômico brasileiro, de jornal e de tevê, está dominado por entrevistas e artigos de economistas de banco. Galbraith, com sua fina ironia, dizia que não se sentia à vontade para acreditar em opiniões econômicas de quem tem interesse próprio em jogo. A rede Globo e os jornalões, assim como as revistas semanais (exceto Carta Capital), apoia seu noticiário econômico em economistas de banco com o maior descaramento. Assim, são os economistas de banco que estão fazendo a cabeça de milhões de brasileiros sobre economia.
Trabalhei anos na editoria econômica do Jornal do Brasil, de que fui subeditor, e jamais entrevistei um economista de banco. Trabalhei anos como repórter econômico da Folha de S. Paulo e jamais entrevistei, para publicação, um único economista de banco. Agora são esses economistas que dominam o noticiário econômico com seus próprios interesses. Acaso é esse tipo de liberdade de expressão e de opinião publicada que interessa ao Brasil? Ou é o momento em que se deve pensar em dividir o monopólio do Globo e fomentar um novo jornal no Rio para o Brasil?
P.S. Não é do meu estilo fazer ataques pessoais. Entretanto, o Sistema Globo foi dividido em três capitanias, uma para cada herdeiro, e as capitanias em sesmarias, cada uma sob o comando de um jornalista no caso do Departamento de Jornalismo. Assim, não adianta falar, quando se trata de formação de ideologia, de um sistema global. É preciso identificar pessoalmente os donos das sesmarias jornalísticas, como procurei fazer. Não fosse tão grande o Sistema Globo, amainaria minhas críticas. Como é grande demais, e eu muito pequeno, pode perfeitamente suportar o choque!
*Jornalista e economista, doutor em Engenharia de Produção pela Coppe/UFRJ, autor de mais de 20 livros sobre a Economia Política brasileira, dos quais o último é “A Razão de Deus”.


J. Carlos de Assis,   é Jornalista e economista, doutor em Engenharia de Produção pela Coppe/UFRJ, autor de mais de 20 livros sobre a Economia Política brasileira, dos quais o último é “A Razão de Deus”.
Fonte: www.yahoo.com.br

quinta-feira, 19 de março de 2015

PACOTE ANTI CORRUPÇÃO

O Congresso Nacional, por certo, aprovará, sem delongas e alterações significativas, as propostas de emenda à Constituição e de leis ordinárias, encaminhadas ontem pela presidente Dilma Rousseff, como necessárias ao enfrentamento à corrupção disseminada pelo Brasil, em razão do seu enraizamento na administração pública, nas suas três esferas: federal, estaduais e municipais. Foi, de fato, uma boa providência. Mas de nada adiantarão as prestezas do Executivo e do Legislativo, respondendo aos reclamos da sociedade, se essas medidas depois de integradas ao Ordenamento Jurídico brasileiro ficarem sendo apenas mais umas ou, se para serem experimentem uma eternidade para ter o devido processo legal transitado em julgado. Se algumas das leis já existentes fossem respeitadas a impunidade tão reclamada não guardaria a dimensão que temos hoje no Brasil. A lentidão do Judiciário e a omissão de órgãos do Executivo (o controle interno), e do Legislativo (suas comissões técnicas), aliados ao ânimos de se apropriarem dos recursos públicos fizeram a corrupção crescer vertiginosamente. O caso do Lava Jato agride a sociedade nacional tanto pelo volume de recursos citados como pela facilidade das transações criminosas. Corruptos e corruptores sequer buscavam sofisticação para suas ações. Aprovem as novas leis, mas antes se comprometam a executar as providências já determinadas pelas nossas leis. As comissões técnicas das Casas legislativas se, de fato, cumprirem com suas obrigações, dentre elas a de fiscalizar, dificultarão o avanço dos malfeitores. Hoje, elas são verdadeiramente omissas. E se faz tal afirmação tomando por exemplo a Comissão de Fiscalização e Controle da Assembleia Legislativa do Ceará. Vários dos seus integrantes, de hoje e de ontem, nem sequer conhecem as competências e atribuições do Colegiado. As Controladorias, no espaço do Executivo, também deixam muito a desejar, talvez por se constituírem núcleos políticos e não técnicos. Se atuassem, como recomenda o controle interno, muitos desvios teriam sido evitados e ajudariam os Tribunais de Contas a serem mais eficientes na análise da aplicação dos recursos, nem sempre respeitados.


Fonte: Edison Silva - www.diariodonordeste.com.br

EX MINISTRO

Cid Gomes (PROS) sai do ministério da presidente Dilma Rousseff (PT), politicamente mais forte do que quando entrou. Pouquíssimos políticos brasileiros teriam a coragem de fazer o que ele fez, ontem, no plenário da Câmara dos Deputados, ao confirmar o que dissera na Universidade Federal do Pará, sobre a existência de "400, 300 achacadores" naquela Casa. Ouviu o que não queria, mas foi duro, inclusive ao apontar o dedo para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), e dizer que preferiria ser mal-educado a estar sendo investigado como ele (Eduardo). Neste momento, ainda no calor dos acontecimentos, não dá para mensurar o tamanho do desgaste político para o Governo e para a Câmara. Falar mal por trás, tem um resultado, mas dizer na frente, dá a impressão de verdade e, mais ainda de coragem. Ser chamado de palhaço como o foi, por um dos parlamentares, e ameaçado de processo judicial, não confere ao acusado ser limpo ou vítima de uma acusação despropositada. Cid saiu de Fortaleza, na noite da última terça-feira, determinado a sair do Governo, após sua estada na Câmara Federal. Ele ouviu ponderações de amigos e correligionários daqui, mas não os deixou muito esperançosos de continuar ministro. Ele, até com os mais próximos é bem reservado, mas quando determinou que levassem o seu carro particular para o Congresso já deixou bem claro que não sairia de lá mais como integrante do Governo. E assim aconteceu. Ele mesmo foi dirigindo até o Palácio do Planalto, onde entregou o cargo. Os adversários dizem que foi exonerado. Faz parte do jogo político. É verdade que se não pedisse para sair ia sair de qualquer modo. O Governo não tem musculatura para manter um ministro que, como ele fez, afrontasse a Câmara ao dizer verdades olhando para a maioria dos deputados. Certo é que, goste ou não dele, é forçoso se reconhecer, ser um político diferente da média geral, de coragem, qualidade reclamada de todos os homens públicos. O futuro de Cid, até as eleições de 2018, ainda não dá para ser analisada

EMATER LIBERA RECURSOS PARA A AGRICULTURA FAMILIAR

A EMATER/PA, através do Escritorio Local de Piçarra liberou nesta semana, pela agencia do banco da Amazônia agencia de Eldorado do Carajás, 13 Pronaf A para assentados do PA Oziel Pereira, ao todo o montante de recurso ficou em 331.032,00(trezentos e trinta e um mil e trinta e dois reais). O recurso está sendo aplicado em plantio de mandioca pelos produtores e na compra de Matrizes leiteiras mais reprodutores. além desse recurso está internalizados mais 23 projetos da mesma linha, 32 Pronaf B, na mesma agencia de eldorado e mais de 40 Pronaf MA na agencia do Banco da Amazônia em Xambioá. Um fato importante a ser considerado é que todo insumo e/ou equipamento como arame, entre outros, estão sendo adquiridos quase que em sua totalidade, nas lojas de Piçarra, gerando recurso para o município. A nossa equipe continuará empenhada na conquista de mais recursos para os nossos trabalhadores rurais, pois consideramos ser um marco importante com o comprometimento para o desenvolvimento da agricultura familiar.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

MENSAGEM DO DIA

A RAZÃO DE VIVER SE DAR PELA AMIZADE CONQUISTADA, A LUTA EMPENHADA E O RECONHECIMENTO DE QUE TUDO QUE SE FEZ FOI EM BUSCA DE MELHORAR SEMPRE.
DO AMIGO FLÁVIO VIDAL

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

DRIVALDO OLIVEIRA, UM TÉCNICO COM SERVIÇOS PRESTADOS EM NOSSO MUNICIPIO

Drivaldo Oliveira

Conversei ontem por telefone com meu grande amigo e companheiro Drivaldo Oliveira, ele está muito feliz, com a aprovação da do projeto PIPS do Pará Rural na comunidade da Vila Anajá. Drivaldo foi o técnico que elaborou o Projeto e deu todo o encaminhamento para a aprovação da compra de 01 trator com seus implementos, tanques de resfriamento, um caminhão e uma casa da farinha. Atuante da Copserviços, empresa que trabalhava na época, Drivaldo sem dúvidas, foi um dos grandes responsável por este empreendimento, inaugurado na ultimo sábado, que tanto beneficio trará para aquela comunidade. Parabéns amigo Drivaldo, fica aqui o reconhecimento de todos nós de Piçarra pela sua atuação.


terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

INAUGURAÇÃO DA FABRICA DE FARINHA



Depois de muitos anos esperando, os produtores rurais das comunidades de Luzilandia e Cabral finalmente poderão comemorar a conquista de uma Fabrica Beneficiadora de Derivados de Farinha e Mandioca. O Ato de inauguração acontecerá nesta Sexta Feira dia 13/02 a partir das 14:00 horas na Vila Cabral, local onde está instalado a unidade. Em parceria com o Governo Estadual, a Prefeitura Municipal através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, comemora a conquista, tendo em vista ser uma das grandes responsáveis por esta conquista prestando todo apoio de infra estrutura e mão de obra qualificada junto aos produtores. Organizados pelos profissionais Lenivaldo José, Diretor do Departamento de Produção, Reginaldo Pereira - Zootecnista e Dernival Gonçalves, titular da Secretaria, os produtores rurais tiveram todo o acompanhamento técnico e a capacitação necessária para tornar o empreendimento produtivo e viável. Estará presente ao evento além da SEMDEC e SEMTPS organizadores do evento, o Prefeito Municipal e demais autoridades convidadas.